quarta-feira, 18 de junho de 2014

Pesquisa em Cartórios Brasileiros


Interessados em deixar sua pesquisa genealógica organizada com fontes ou pesquisadores que tem pouco ou nenhum contato com parentes costumam se valer da pesquisa de certidões de nascimento, casamento ou óbito, feitas nos cartórios, para progredirem na pesquisa genealógica.



Os Prós: 

1. A certidão de nascimento costuma qualificar o indivíduo, seus pais e avós.

2. A certidão de óbito costuma mencionar cônjuge e filhos.

3. A certidão de casamento costuma trazer dados de local de nascimento, estado civil e idade dos noivos e nome de seus pais.


Os Contras: 

1. Não ha uniformidade no procedimento.

Se você já foi pesquisar em cartórios deve saber que a última coisa que se pode criar é expectativa.
"Pode ser que" é a sentença que mais se aplica ao caso.

Pode ser que o cartório faça uma pesquisa. Pode ser que a pessoa lhe atenda com algum respeito. Pode ser que  não realizem a pesquisa. Pode ser que cobrem só para verificar se existe o registro. Pode ser que lhe digam para procurar em outro lugar. Pode ser que se recusem a lhe atender. Pode ser que a pessoa que lhe atender se interesse e lhe ajude na pesquisa. Pode ser que te deixem consultar o livro.

Essa disparidade é o que mais desanima o pesquisador. Comigo já ocorreu de a pesquisa ser feita na hora [com o nome dos pais dos indivíduos que eu procurava], me deixarem olhar o livro [sob supervisão], fazer anotações sem que nada fosse cobrado e ainda me darem informações de registros que eu desconhecia.

Também já ocorreu do atendente fazer um extremo "pouco caso", dizer em tom ameaçador que cobraria para pesquisar e me olhar com cara de "não-estou-nem-um-pouco-a-fim-de-fazer-a-sua-pesquisa".



Há um artigo muito interessante sobre esse tema intitulado Genealogia da Burocracia.

2. Custas

Novamente o problema de uniformidade: Há cartórios que cobram a pesquisa e os valores podem variar de R$11 à R$200, segundo dados coletados por pesquisadores.

Acredita-se que a pressuposição dos cartórios de que a pesquisa genealógica exista com fins de cidadania estrangeira estimule as cobranças de altos valores.


Informações Importantes:

- A maior parte dos cartórios informa por telefone se faz ou não a busca e as custas desse tipo de pesquisa.

- Cada estado tem sua tabela de custas. Exemplo: Tabela de SP.



...

domingo, 8 de junho de 2014

Pesquisa em Microfilme SUD

* O programa de Solicitações de Microfilmes SUD foi descontinuado em Agosto de 2017. 
Essa postagem permanece no ar porque alguns CHFs optaram por manter suas coleções locais.

Em algum ponto das pesquisas genealógicas é possível (e muito provável) que o genealogista precise pesquisar microfilmes.

Algumas entidades mantem registros microfilmados de documentos históricos, mas a maior e mais importante biblioteca desse tipo de mídia é a mantida pela Biblioteca de História da Família de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.


Como funciona?

Para encontrar um microfilme, pesquise no catálogo de materiais genealógicos.


A pesquisa pode ser feita através dos seguintes critérios: Locais / Sobrenomes/ Títulos/ Autores / Assuntos/ Palavras-Chave.

Por exemplo: Sei que minha bisavó veio de Múrcia, Espanha. 
De posse dessa informação, consigo através do filtro Locais procurar microfilmes daquela região.

O sistema corrige e sugere a grafia dos nomes e retorna uma lista de microfilmes que se encaixam nos critérios pesquisados. 

Clicando no item desejado pode-se ver o número do microfilme e solicitá-lo.
(Atente que muitos filmes não indexados já estão disponíveis para consulta online no familysearch.org)


Como solicitar um microfilme não digitalizado?

A solicitação do microfilme é a parte mais complexa do processo.
Normalmente o melhor caminho é solicitar ao diretor do Centro de História da Família mais próximo de sua casa.

Para pesquisar os centros de história da Família clique AQUI.

Esse diretor ou diretora é uma pessoa que faz trabalho voluntário, normalmente de uma a duas vezes na semana, então cada um dos Centros de História da Família - CHF- funciona em horários e dias independentes.  

O contato por e-mail é mais eficiente e o diretor irá explicar o procedimento e solicitar o microfilme para você. 

Os microfilmes independentemente da forma como sejam solicitados são sempre entregues na casa do diretor do CHF, por isso é mais fácil conversar com o mesmo antes de solicitar um item, para não correr o risco de o mesmo ser devolvido por falta de informações do pesquisador.

Quando o microfilme chegar ao diretor ele irá lhe comunicar através do contato acordado e você poderá agendar sua visita ao CHF para começar a pesquisa.


Informações importantes:

O microfilme tem um custo de empréstimo relativo a postagem do material. 
Você deve combinar com o diretor do CHF escolhido a forma de pagamento.

Os tipos de empréstimos disponíveis no Brasil são: 

Curto Prazo (apenas microfilmes)
Empréstimos de Microfilmes por Curto Prazo têm duração de 90 dias, iniciando-se a partir do momento em que o pedido é postado.

Estendido (microfilmes e microfichas)
Empréstimos de microfilmes e microfichas por tempo estendido não tem uma data de devolução definida.

Renovações (apenas microfilmes)
Renovações de curto prazo terão a duração de 60 dias adicionais. As renovações de curto prazo não se tornam automaticamente renovações de empréstimo estendido. As renovações estendidas não têm uma data retorno definida.




O que mais você precisa saber?

Seja paciente. 
Pode ser que o microfilme que você deseja já esteja emprestado e leve algum tempo para chegar.

Seja paciente. 
Os marinheiros de primeira viagem costumam pensar que irão ao CHF uma única vez e lerão o filme todo ou acharão o dado logo nas primeiras páginas. Alguns registros não estão em ordem cronológica e outros tem uma leitura difícil devido ao estado da imagem original ou a caligrafia.

Seja paciente. 
Os voluntários que trabalham nos CHFs são pessoas normais que doam tempo e recursos para ajudar outros em suas pesquisas em função de suas crenças e valores. Seja polido e respeite essas crenças e valores. Tenha paciência se o diretor for "novato" e estiver sendo treinado.

*Não tenha medo.
Não fique acanhado em utilizar esse recurso por não ser membro da Igreja; Os mórmons são conhecidos por serem hospitaleiros e receptivos e estão acostumados a lidar com pesquisadores de genealogia de outros credos e/ou ateus.

Um dado interessante, (relatado verbalmente pelos diretores) é que a maior parte dos pesquisadores de microfilmes SUD não são membros de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.

Não fique com medo de sua pesquisa ser condicionada a proselitismo ou compromisso religioso de sua parte, ou por ter ouvido ou lido algum comentário ruim sobre a Igreja e seus membros. 

Um bom pesquisador deve sempre averiguar uma informação por si mesmo, como você genealogista, está cansado de saber. 


...


Info: Fotografia feita pela autora no CHF Campinas (Túnel)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...