terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Família Souza

Novo Brasão na página de Heráldica:


Souza ou Sousa, é um sobrenome de origem portuguesa, de origem desconhecida, provavelmente topônimo, oriundo de um rio no norte de Portugal. Suposições há de que provenha do latim saucia, que significa pedra, já outros dizem que provem de saza, que significa seixo.

Algumas variantes no brasão parecem ter relação com o ramo do qual se origina e para esse vetor foi escolhida a versão mais comum.

O brasão é vermelho com quatro crescentes de prata.
Para saber mais:


...

Info: Brasão vetorizado pela autora. Uso livre não comercial.



quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Feliz Natal!




...

Info: Cartão criado pela autora. Uso livre não comercial.





sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Família Santos

Novo Brasão na página de Heráldica:


Santos é um sobrenome de origem religiosa, do latim sanctorum, que significa dos santos, o sobrenome é uma referência ao dia de todos os santos, por isso existe uma variação do nome em todos os países europeus de predominância católica, segundo a tradição medieval era costume levar o nome do santo que é celebrado no dia do nascimento. Alguns especialistas afirmam também que crianças nascidas ou abandonadas no antigo Hospital de Todos os Santos, em Lisboa, também eram batizadas com o sobrenome.

Algumas variantes no brasão parecem ter relação com a região da qual se origina e para esse vetor foi escolhida a de origem portuguesa.

O brasão é vermelho com aspa dourada e cinco flores-de-lis azuis.

Para saber mais:


...

Info: Brasão vetorizado  pela autora. Uso livre não comercial.



terça-feira, 24 de novembro de 2015

Dia da Descoberta em BH

No sábado dia 21 de Novembro aconteceu em Belo Horizonte o Dia da Descoberta, evento de História da Família e Genealogia patrocinado pela  A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (também conhecida como SUD ou mórmon), na capela da Igreja na Rua Afonso Ferreira Gomes, 60, Jardim Paquetá / Castelo.

O evento ocorreu das 14 h as 16 h e foi aberto ao público em geral.

Os organizadores da Feira ofereceram consultoria e oficinas de pesquisa genealógica com base no livreto "Minha Família: Histórias que nos unem", e indexação gratuitamente para os interessados e visitantes do evento.



Family Search marcou presença no evento ao expor o equipamento que está sendo utilizado atualmente na captura de imagens para projetos de indexação na região.

Segundo informação do funcionário do Family Search, atualmente está em andamento o projeto de digitalização de documentos do Cemitério da Paz e estão previstos projetos para alguns outros cemitérios da cidade.



...



Info: Fotos feitas pela autora. [Divulgação]

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

en stirps nobiels et gens antiquissima Black

Harry Potter e a Ordem da Fênix é o livro/filme favorito dos fãs da série HP.

A bizarra obsessão com linhagens puras existente em diversos personagens menores e no vilão central é a crítica da autora aos temas do racismo, nazismo/facismo, ideal de pureza ou limpeza étnica e já foram objeto de estudo e de teses de muitos acadêmicos.

É muito interessante ver como uma história em tese escrita para o público infanto juvenil pode ser tão densa. Ás vezes, um pouco tensa além do que a classificação pode acolher confortavelmente.




Como entusiasta da genealogia, fiquei intrigada com a Tapeçaria da Família Black, que aparece no filme. As manchas escuras são membros da fictícia família que foram por assim dizer "deserdados" por sua associação com indivíduos de linhagens consideradas espúrias.



Para além das reflexões sobre o que tem real importância, a arte da tapeçaria é um interessante trabalho artístico.

Mesmo hoje em dia, há ainda alguns que se aventuram pela pesquisa genealógica em busca de linhagens reais.

Ser descendente de um duque ou barão pode até ser o sonho de muita gente, mas o real tesouro na descoberta dos ancestrais não passa por inacreditáveis heranças perdidas.

Descobrir suas raízes pode não ser nada rentável em termos monetários, mas é muito enriquecedor em vários outros aspectos, especialmente no Brasil, onde toda linhagem é pura miscigenação racial.

...

Info: As imagens dessa postagem são publicadas a título de divulgação e tem todos os direitos reservados á Warner Bros e J.K.Rowling.

domingo, 11 de outubro de 2015

Pesquisa em Cemitérios


Tem bastante gente que sente uma certa repulsa em pesquisar cemitérios, mesmo entre os genealogistas.

Alguns psicólogos acreditam que é a ideia de encarar a morte o que motiva esse asco.
Se você não estiver entre os que sofrem de Coimetrofobia, que é esse medo intenso de cemitérios, essa postagem pode ser interessante...

Se estiver, talvez tenhamos boas notícias também.



A pesquisa genealógica em cemitérios é um recurso bastante comum para os genealogistas mais experientes e para o pessoal da velha guarda. 

Obviamente ela é muitíssimo ineficaz quando se anda num cemitério a esmo em busca de lápides com sobrenomes iguais ao seus.
Imagina procurar lapide por lápide cada Souza ou Silva de uma cidade grande?

Mas como fazer a busca?

Muitos cemitérios no Brasil já possuem um sistema de busca em totens no próprio cemitério, o que facilita muito a pesquisa. O problema nesses casos é que a maior parte só traz busca de falecidos dos últimos dez ou quinze anos e as buscas são feitas presencialmente, no referido cemitério.

Contudo, há cemitérios que disponibilizam sistemas de busca online
cemitério de Jaú é um excelente modelo do potencial da indexação de campas. No site o pesquisador pode procurar por nome do falecido, pais, data de falecimento ou localização do túmulo.

O cemitério de Santos é outro que conta com esse recurso.

Geralmente se realiza a pesquisa em cemitérios quando não há dados disponíveis em cartórios. Alguns dos ancestrais mais antigos em áreas mais remotas podem sequer ter sido registrados. Essa parte da pesquisa se torna bastante imprecisa. 

Normalmente esse tipo de extração, como um todo, gera dados menos precisos no que se refere aos nomes. Uma regra comum na ciência da genealogia sugere que quanto mais próximo da data de nascimento maiores são as chances de os dados serem corretos.

Contudo, muitas vezes se consegue dados importantes nos cemitérios, principalmente quando se trata de sobrenomes incomuns em cidades pequenas ou buscas por indivíduos específicos. É meio óbvio mas vale a pena ressalvar que sobrenomes iguais não significam parentescos, mesmo em casos como o citado.


As pesquisas nos cemitérios mais antigos são também muito interessantes do ponto de vista cultural e histórico. A arte cemiterial é muito diversa e normalmente faz sim a gente ponderar um instante sobre a vida e a morte. 


Info: Todas as fotos que ilustram essa postagem foram feitas pela autora com câmera analógica e filme asa 100 no cemitério da Saudade em Piracicaba, (SP), um dos mais antigos cemitérios do estado de São Paulo. 

...

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Série






A série "E agora?" tem um objetivo bem simples: Ajudar os genealogistas que andam meio empacados em algum ponto de sua pesquisa genealógica.

Começar e recomeçar sempre funcionam bem quando há organização.
Quer você já tenha ou não começado sua pesquisa de genealogia e história da família, alguns dos itens que serão publicados irão ajudá-lo a expandir, melhorar e organizar sua pesquisa.


1. Organize:
Consiga um baú, uma caixa, pastas ou gavetas onde você possa centralizar os materiais que já possui ou que irá juntar daqui para frente.

2. Catalogue:
Separe em cadernos, pastas ou envelopes plásticos diferentes para os ramos paterno e materno.

3. Anote:
Para não misturar ou confundir os dados coletados, anote as informações em caderno. É oldschool mas já salvou a pele de muita gente.

4. Publique online:
Quem já passou pela situação ou teve um amigo que teve o computador quebrado, furtado ou perdido sabe que é uma pequena tragédia perder dados, fotos e informações.
HD externo ajuda mas informação na nuvem é essencial.
Não importa se você prefere ancestry, myheritage, geni ou familysearch, publique seus achados na rede.


...


Info: Ícones criados pela autora à partir de open cliparts. Uso livre não comercial permitido.



domingo, 1 de março de 2015

Árvore 2 Genealógica em MDF


Um update para os artesãos que queiram fazer sua árvore genealógica em MDF.

Versão com fotos em P&B.
Anteriormente no blog foi publicado um PAP sobre a decoração de árvore genealógica em MDF.

Algumas considerações adicionais demandam essa segunda postagem.


- Cada peça oval tem a medida de 6 cm por 4,8cm.

- Vale a pena deixar uma moldura porque a foto sairá com o tamanho exato da peça. Para que a colagem fique perfeita recomenda-se tirar 2mm da borda antes de proceder a colagem.

O PAP original pode ser conferido nessa postagem.
O preço da peça está atualmente em R$25 nas lojas pesquisadas.



...


Info: Ilustração fotográfica feita pela autora. Fotos de Família.



domingo, 8 de fevereiro de 2015

Blog do MyHeritage







O MyHeritage tem também um blog muito bacana que é frequentemente atualizado em muitos idiomas diferentes, sempre com temas voltados a genealogia e muitas vezes com assuntos curiosos.

Algumas postagens curiosas que valem a pena conferir:

9 Sepulturas Especiais


Sepultura de um Genealogista segundo o Blog MyHeritage


Descubra sua genealogia pelo formato dos dedos do seu pé


O blog também tem entrevistas, dicas e postagens de assuntos relacionados.

Como conservar fotos, livros e documentos antigos

Arquivo Publico de São Paulo

Arquivo Paroquial em Portugal



***



Nenhuma das resenhas é  patrocinada ou pode ser considerada como editorial de publicidade, refletindo apenas a opinião da autora sobre os blogs e sites resenhados. As imagens dessas publicações se destinam meramente a ilustração à título de divulgação e não devem ser reproduzidas sem autorização dos respectivos detentores dos direitos autorais.

...


domingo, 1 de fevereiro de 2015

Lourdes Rosa


O que afinal de contas, o que é Amar Genealogia e o que leva um indivíduo a fazê-lo?
Para mim, a oportunidade de descobrir pessoas e histórias está no cerne da resposta.

Essa nova série de postagens do blog será dedicada ao assunto.
Se for do seu interesse compartilhar uma história de seus antepassados, por favor, entre em contato.







Lourdes Rosa


Por volta da década de 80.
Lourdes Rosa de Jesus nasceu em 15 de Novembro do ano de 1925 em Porto Santo Antônio nas Minas Gerais e casou-se cedo, aos 17 anos, no dia 15 de julho de 1942, durante a segunda guerra mundial.

Ela e o marido se mudaram para o estado de São Paulo pouco tempo após o casamento.

Lourdes deu à luz dez filhos, nove dos quais chegaram a vida adulta.- A perda do sétimo filho quase a matou de tristeza.

Ela era baixinha de estatura e os que a conheceram afirmam que ela era uma pessoa muito amável e prestativa. Os filhos recordam que ás vezes levavam uma chinelada quando aprontavam muito e dizem que era merecida.

Ela faleceu aos 57 anos, em 2 de Outubro de 1982, na cidade de Presidente Prudente (SP).

Não cheguei a conhecer a Lourdes, já que nasci nove meses após sua partida, no exato dia em que ela completaria 41 anos de casamento.

Por volta da década de 40.
Durante muito tempo essa velha fotografia de pouco tempo antes de seu falecimento foi a única referência que tive de minha avó.

Minha mãe costuma dizer que herdei dela o gosto pela arte e o hábito de pegar objetos com o pé.

Anos atrás, quase por acaso, encontrei uma fotografia dela, a única foto conhecida do período da juventude e que supomos ser a foto do salvo-conduto utilizado na mudança para São Paulo.

A fotografia original, pequena e desbotada em tons de amarelo esverdeado tinha um pedaço faltante. Me disseram que vovó não gostava da foto por conta de um terçol que havia aparecido em seu olho esquerdo.

Setenta anos depois, essa foto que ela nem apreciava veio a ser um pequeno tesouro para uma neta que ela não conheceu. Por imaginar que ela gostaria, tirei no photoshop as marcas do terçol e ganhei um retrato muito bonito da minha avó, Lourdes Rosa.

...


Info: Fotos de arquivos da família.



domingo, 18 de janeiro de 2015

My Heritage


O My Heritage é um serviço bastante popular entre os pesquisadores de genealogia e atualmente conta com 80 milhões de usuários e 28 milhões de árvores genealógicas em 40 idiomas.
E é justamente a diversidade de idiomas que torna o serviço tão interessante.

O site também tem capas muito bonitas, com fotos antigas que mudam com frequência.

O login fica no canto superior direito ao lado do menu de idioma. O destaque no canto direito é para a criação da árvore genealógica que pode ser importada do formato GEDCOM (nativo do familysearch)


Nas abas de Menu no topo do site temos:



1. Pesquisa

Após o login o site já direciona o usuário diretamente para a aba de Pesquisa.

Essa ferramente é muito semelhante a ferramente do site FamilySearch e é bem simples de ser utilizada.

Ela conta com coleções divididas por países e árvores genealógicas publicadas por usuários do site.


2. Inicial


A aba Inicial traz um texto padrão de Boas Vindas que pode ser editado.

Esse texto é visível para os demais usuários que acessam sua página dentro do My Heritage, trazendo estáticas de visitas e data de atualização.

Há também o endereço de e-mail para que pesquisadores possam entrar em contato diretamente entre si.




3. Árvore

A aba Árvore é onde o usuário pode criar ou importar sua árvore genealógica.

O site incentiva os usuários a convidarem mais membros da família para um trabalho colaborativo.

A árvore é montado com fotos enviadas pelo usuário que ficam visíveis para terceiros.


4. Fotos

A aba Fotos permite aos usuários fazer o upload de fotos para árvore
e fotos gerais.

O site permite que o usuário importe fotos de sua conta do Flickr, Picasa, Facebook, Windows Live, Photobucket, Freewebs ou Webshots.

A opção de marcação de pessoa, que existe em diversas redes sociais também está presente.




5. Eventos

A aba Eventos permite criar um calendário pessoal.

Há também a aba Apps para conhecer o aplicativo de dispositivos móveis, o look-a-like-meter e o Family Tree Builder.


Está na agenda do blog uma série de publicações sobre apps para iphone e android.

Prós:

- O site tem vários idiomas.

- O site é bem simples de usar e "conversa" com outros sistemas como o Rootsmagic.

Contras:

- Nada digno de nota.

Custos:

O site tem versão gratuita básica e o Family Tree Builder tem as versões premium por cerca de U$ 8 por mês e premiumplus por U$10, com descontos progressivos para assinaturas por períodos mais longos.

Considerações pessoais:


Gostei do site e especialmente do blog que merece e terá uma resenha a parte.
Para o meu gosto há ares de rede social, o que pode ser "pró" para muita gente.


***

Nenhuma das resenhas é patrocinada ou pode ser considerada como editorial de publicidade, refletindo apenas a opinião da autora sobre o sistema resenhado. As imagens dessas publicações se destinam meramente a ilustração à título de divulgação e não devem ser reproduzidas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...